terça-feira, 25 de junho de 2013

Online Language Learning

This is an Open Online Resource I've created.
You can chek it on the youtube


Licença Creative Commons
Este obra foi licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-Uso Não-Comercial 3.0 Unported.
 Wanting to learn a foreign language?

What is online language learning?

Language learning goes online

Where to start learning a language online?

Is online language learning the best choice?

domingo, 2 de junho de 2013

Planificações de duas actividades com base em dois REA





Condições de utilização:

Autor: Vlaams Ministerie Van Onderwijs En Vorming
Instituição: KlasCement
Nível de ensino : Universitário

Descrição e critérios para a escolha deste REA:
Trata-se de um módulo de aprendizagem de escrita em língua holandesa para aprendizagem do Inglês, onde os alunos são convidados a produzir um texto em língua Inglesa – Língua estrangeira, com base num universo restrito de palavras (100).
Trata-se de um REA simples e de utilização muito pouco restritiva. De resto são muitas as adaptações a esta proposta e da qual se perdeu a autoria inicial. Enquanto ideia para uma produção de escrita criativa a proposta permite diferentes adaptações.
Já utilizei esta actividade quer em contexto presencial quer em contexto online, sendo que a tarefa ganha um cariz mais interessante pela partilha e comentários que os formandos fazem dos textos produzidos por si e pelos outros quando em elearning.
A construção das actividade constante na planificação tem em conta a utilização dos 4 Rs dos REA.

Planificação da actividade de aprendizagem 1

O conteúdo apresentado foi  alvo de adaptação, e resultou na actividade que pode ser consultada em https://sites.google.com/site/speakittoo/writing/activity-1--writing e cuja planificação agora apresento.

A actividade divide-se em três tarefas e parte do mesmo ponto de partida do Recurso encontrado para a produção de um texto.

Reflexão sobre a Planificação 1

O Recurso Educacional Aberto propõe uma actividade de escrita para alunos de Inglês língua estrangeira de língua materna holandesa. A proposta de actividade constante na planificação apresentada pretende adaptar o recurso a alunos de língua materna portuguesa e aprofunda a dimensão iteractiva da utilização de diferentes plataformas e outros recursos de acesso gratuito em contexto de elearning.



Condições de utilização:


Autor: David Walbert
Instituição: LEARN NC
Nível de ensino: Secundário e Universitário

Descrição e critérios para a escolha deste REA:
Trata-se de mais uma actividade de escrita dirigida especificamente à produção de texto em contextos de publicação online, onde se pretende que a escrita seja directa e privilegie as frase curtas e simples, sem sacrificar o conteúdo. Dirige-se a alunos que estão a aprender a dominar a componente escrita da língua inglesa como língua estrangeira.
A necessidade de desenvolver competências novas em contextos cada vez mais competitivos resulta na necessidade de reflexão sobre o tema da escrita online.
Esta proposta de actividade, constante na planificação seguinte procura dar um cunho prático de produção escrita a um REA que se apresenta apenas com um cariz teórico de grande qualidade e fiel a si próprio, com linguagem simples e directa.

Planificação da actividade de aprendizagem 2

Dirigida a indivíduos interessados em promover a sua empresa ou produtos em língua inglesa em páginas ou blogues da Internet e num contexto de formação online, este módulo de aprendizagem foca o domínio da língua inglesa para produção de conteúdos para fins de publicação online em páginas da Internet, para promoção e venda de produtos online. 


1. Regras básicas da escrita em contexto online
Sugere-se aos formandos/alunos a leitura integral do texto disponível em:

2. Preparação directa da produção escrita:
Os formandos são conduzidos num processo de preparação da escrita onde terão de definir os seguintes pontos, constantes da proposta de atividade seguinte:
  
 Ask yourself these questions when you sit down to write:

  1. Who is my audience?
  2. What do I want them to know, believe, or feel after they read it?
  3. When and where will they read it?
  4. Why will they read it?

  
3. Produção escrita:

Finalmente os formandos serão convidados a preparar um texto que promova a sua empresa ou produtos, utilizando as regras enunciadas em 1 e mediante a preparação realizada em 2.

Os formandos deverão sujeitar o seu texto ao escrutínio de outros seus pares e do formador, na wiki ou na comunidade de aprendizagem.

Reflexão sobre a Planificação 2

Mais do que uma adaptação do recurso original a planificação da actividade 2 procura optimizar com a proposta de uma actividade de aplicação de conhecimentos o Recurso aberto disponibilizado.

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Onde encontrar os melhores repositórios de Recursos Educacionais Abertos?

Talvez começar por aqui: 

IIEP-UNESCO Wiki of OER repositories
Trata-se de uma listagem de repositórios e portais de acesso com links para iniciativas no âmbito dos recursos educacionais abertos promovida pela UNESCO. Uma análise da maioria dos links disponibilizados permite concluir a abrangências de recursos, nomeadamente ao nível universitário.

Incontornavel é também o portal da OER Commons. Trata-se de uma rede de aprendizagem onde é de destacar o acesso a recursos de grande qualidade, com licenças de utilização que permitem, na maioria dos casos, uma adaptação e reutilização em contextos educativos. Os recurso cobrem uma grande diversidade de áreas e de níveis de ensino. O portal é intuitivo e permite o recurso às ferramentas mais frequentes da WEB 2.0.


Finalmente destaco uma seleção de recursos disponibilizados na página do Scoop it: Open Education Resources.
Trata-se apenas de uma entre várias páginas com compilações atualizadas quase diariamente de recursos educacionais abertos. A atualização constante é de resto uma das características chave da disponibilização de conteúdos online.

terça-feira, 30 de abril de 2013

Recursos Educacionais Abertos - Bibliografia Anotada


Os Recursos Educacionais Abertos (REA) são recursos disponibilizados gratuitamente ou a baixo custo, destinados ao ensino, à aprendizagem  ou à pesquisa e investigação. Como REA podemos considerar livros, textos, cursos e outros conteúdos ou aplicações de aprendizagem sejam jogos, questionários, guias, instrumentos de avaliação, ou qualquer outro material didático. Os REA são disponibilizados sob uma licença que explicita como podem ser usados: Alguns só podem ser utilizados na sua forma original, noutras situações, os recursos podem ser modificados e redistribuídos. Os REA vieram expandir o acesso a recursos educacionais a um número mais alargado de aprendentes, professores e investigadores. Contêm em si um potencial fantástico de estimular a inovação pedagógica, pela introdução de novas alternativas para um ensino que se quer mais  eficaz.

Após uma pesquisa cuidada, selecionei dois documentos. O primeiro constitui-se como uma introdução ao conceito de REA, permitindo a compreensão do que são, para que servem e a quem se destinam.

O segundo documento problematiza o uso das REA num contexto formal de Educação. Resulta de uma reflexão sobre como disponibilizar recursos em ambientes de ensino tradicionalmente fechados, onde para a utilização dos REA se torna necessária a criação de novos contextos de Práticas Educacionais abertas. A escolha ficou a dever-se ao facto de ter sido o meu primeiro contacto com os REA, aquando da minha passagem pela Universidade Católica de Lisboa.

7 Things You Should Know About Open Educational Resources



A associação EDUCASE construiu um conjunto de documentos com os títulos "The 7 Things You Should Know About..." (7 coisas que deveria saber sobre…) no âmbito do seu projecto Learning Initiative.

“7 Things You Should Know About Open Educational Resources”  fornece de forma clara e concisa informação sobre os REA:
1. O que são?
2. Como funcionam?
3. Quem os utiliza?
4. Porque são importantes?
5. Quais os pontos fracos?
6. Quais as perspetivas futuras?
7. Quais as implicações para o ensino e aprendizagem?

A ideia central do documentos é sumarizada de forma precisa na sua conclusão, que recupero:

Open resources are one way to address the rising costs of education, and they also have the potential to facilitate new styles of teaching and learning. Giving faculty the ability to pick and choose the individual resources they want to use and to modify those resources and “assemble” them in unique ways promises greater diversity of learning environments.

Open Educational Quality Initiative Guide


  • Open Educational Quality Initiative, OEP Guide. [Site]. Disponível em www.oer-quality.org/publications/guide
O meu primeiro contacto com os REA deu-se em 2010, quando na Universidade Católica Portuguesa surgiu o projecto OPAL - Open Quality Initiative (2010-2012) uma parceria com a UNESCO - UN Educational, Scientific and Cultural Organization (França), o International Council for Open and Distance Education (Noruega), o European Foundation for Quality in E-Learning (Bélgica) e várias instituições de Ensino Superior nomeadamente: The Open University (Reino Unido), Aalto University (Finlândia), Universidade Católica Portuguesa e University of Duisburg-Essen (Alemanha), líderes do projecto.


Tratou-se de um projecto europeu, no âmbito do Lifelong Learning Programme. Pretendia melhorar a eficácia do processo de ensino e da aprendizagem no contexto universitário e no ensino de adultos. O projecto versava também o conceito de Práticas Educacionais Abertas (PEA) e procurva definir  indicadores de qualidade e ferramentas de auto-avaliação ao serviço do processo de ensino aprendizagem que envolvessem todos os profissionais e alunos, bem como a própria instituição de Ensino.  A valorização dos REA para a persecução destes objetivos levou a que no âmbito da OPAL fossem premiados como "Campeões Internacionais" aqueles que se destacaram na promoção de Práticas Educacionais Abertas.

Como refere o  Open Educational Quality Initiative Guide, a maioria das iniciativas de REA são baseadas unicamente na potenciação da criação, acesso e utilização de recursos educativos abertos, mas a maioria dessas iniciativas esquece a necessária ajuda que professores, investigadores e instituições necessitam para desenvolver Práticas Educativas Abertas, com base nos recursos disponibilizados e que são fundamentais para garantir a plena implementação do uso de REAs.

O guia é composto por três partes:

Guidelines (Diretrizes): Onde se introduz o conceito de Práticas Educacionais Abertas (PEA) e é fornecido um guia sobre como melhorar essas PEAs. Simultãneamente, são apresentados três instrumentos para avaliar o nível de maturidade das organizações em relação à sua adoção de PEAs

Landscape (conceito): este documento apresenta e define o conceito de Práticas Educacionais Abertas.

List of Elements (Lista de elementos): elementos que, juntos, compõem as melhores práticas na implementação de práticas educacionais abertos (OEP).

Toda a informação está disponível em: http://www.oer-quality.org. O Relatório final está também disponível: Beyond OER. Shifting Focus to Open Educational Practices